Educação Financeira

A Educação Financeira não está relacionada apenas com dinheiro, mas também com outras áreas do saber.

É necessário mostrar a importância de ter objetivo, fazer escolhas e que nada é mágico, porém, tudo é possível, desde que o dinheiro seja utilizado com planejamento, foco e sabedoria.

Desta forma, ensina-se às crianças que acordos não significam negação, mas sim negociação. Elas perceberão que é possível ter, porém nem sempre no momento em que se quer. Essa prática também ajuda a aliviar o sentimento de culpa de muitos pais, que aprendem a se reeducar financeiramente e deixam de ver o dinheiro, ou o poder de compra, como uma válvula de escape para suprir lacunas em outros aspectos da vida.

Uma criança que não é educada financeiramente vai querer tudo o que vê e fazer ‘birra’. Hoje a exposição às ações publicitárias faz com que as crianças se tornem, cada vez mais cedo, consumistas. É importante demonstrar que a felicidade não está associada ao consumismo desenfreado, e sim na atitude para atingir seus objetivos.

A Escola Regina Celi para educar financeiramente seus alunos, baseia-se nos pilares da Metodologia DSOPDiagnosticar, Sonhar, Orçar e Poupar. Isso se traduz em estimular as crianças a identificarem seus sonhos de curto, médio e longo prazo; ensiná-los a investigar quanto custam e quanto será necessário reservar para que o sonho possa ser realizado.

O objetivo é formar cidadãos autônomos, com visão crítica, capazes de realizar projetos e assimilar desde cedo a importância do equilíbrio financeiro.

Reinaldo Domingos é educador financeiro, presidente da DSOP de Educação Financeira e da Editora DSOP,

Confira algumas fotos da atividade!